Return to site

Coworking: o que você precisa saber

· Empreendimentos

Cada vez mais o mundo tem adotado ações sustentáveis e, consequentemente, mais colaborativas. Um efeito disto é o surgimento de novas tendências que buscam economizar recursos, garantir a sustentabilidade e o compartilhamento de espaços.

E essas mudanças também estão acontecendo na construção civil, que cada vez mais busca estar por dentro destes novos recursos para garantir um diferencial competitivo frente ao mercado.

Mas de que forma isso acontece?

Os projetos arquitetônicos, desde a compra do terreno até dos móveis que irão compor os espaços, estão voltados para atender a economia compartilhada. Com isso, a antiga ideia de construir apenas para uma classe social, uma faixa etária ou modelo de negócio, está deixando de existir.

Portanto, é fundamental que você saiba tudo sobre essas novidades para que aplique-as dentro da sua incorporadora. E é por isso que este post é importante para você!

Vamos começar?

O que é Coworking

A ideia deste espaço de trabalho compartilhado consolidou-se em 2005, quando o engenheiro de software, Brad Neuberg fundou um ambiente destinado a dividir espaços de trabalho em um centro comunitário destinado à mulheres chamado Spiral Muse, nos Estados Unidos.

Desta forma, podemos afirmar que coworking é um local de trabalho compartilhado por diferentes empresas e profissionais. Isto é, escritórios de diversos segmentos e tamanhos são estabelecidos no mesmo lugar, mas não estão necessariamente interligados do ponto de vista profissional e/ou profissional.

O objetivo do Coworking é incentivar a troca de idéias, compartilhamento, sustentabilidade, colaboração e networking. Com isso, a proposta é que este conceito de trabalho resolva 4 problemas:

  • Economia para o empreendedor que não deseja ou não tem condições de custear o próprio escritório;
  • Aumentar o networking dos profissionais de sua área ou de diferentes áreas;
  • Interação com outros profissionais no seu ambiente de trabalho;
  • Evitar o isolamento de profissionais que normalmente trabalham em home-office.

Outro ponto muito importante e que pode justificar a grandeza que este conceito está ganhando na construção civil é a sustentabilidade. Ligada ao aspecto ambiental, o compartilhamento do espaço de trabalho promove a divisão equitativa de recursos entre pessoas.

Dentre os espaços que não podem faltar para compor um projeto de Coworking, estão:

  • Salas de treinamento;
  • Estações de trabalho;
  • Salas de reunião;
  • Espaços para lazer e relaxamento;
  • Copa ou cozinha;
  • Banheiros.

E fique atento!

Ao desenvolver um projeto de Coworking é extremamente importante que você leve em consideração a localização e o acesso a transporte público e vias principais. Quanto mais bem localizado for o projeto, mais bem sucedido ele será.

Outro ponto para ficar de olho, é que o ponto de interação e networking entre os membros tem alta percepção de valor pelos usuários, o tal 'senso de comunidade'. Então, ter eventos e momentos pensados para a troca de figurinhas entre os usuários são bem recomendados para o sucesso do coworking.

Caso você queira saber mais sobre Coworking, assista esse vídeo:

Mas talvez você esteja se perguntando:

O conceito de Coworking está crescendo no Brasil?

A resposta é sim! De acordo com o censo realizado em 2017 pela Coworking Brasil, o País já contava com 810 espaços compartilhados. Um aumento de 114% em relação a 2016.

A Coworking Brasil são 56 mil estações de trabalho, 313 mil metros quadrados ocupados, 82 milhões movimentados em 2016, com uma média de 210 pessoas circulando nestes espaços e 3.500 pessoas empregadas, diretas e indiretamente.

A empresa ainda levantou dados interessantes sobre as principais características, na média, dos coworkings:

  • 384 metros quadrados de área;
  • 69 estações de trabalho;
  • 9 pessoas por empresa;
  • 2 sócios, 2,5 funcionários e 3,6 autônomos.

Ainda de acordo com o censo, alguns coworkings ainda possuem características “extras” para melhorar o conforto, bem estar e convívio de seus usuários, como 21% possui pet friendly, 3% são kid friendly, 54% tem espaço ao ar livre e 41% tem estacionamento próprio.

O estudo ainda mostra a média de situação de cada negócio:

  • 23% iniciaram o projeto de expansão ou planejam fazê-lo em breve;
  • 9% declararam que o negócio vai mal;
  • 30% consideraram que passaram da fase inicial e vão bem;
  • 30% consideram o negócio ainda iniciante;
  • 8% consideram o negócio maduro e estável;
  • 14% consideram tiveram prejuízos em 2015;
  • 42% lucraram dentro do esperado;
  • 35% consideram o lucro abaixo do esperado.

Segundo ranking da Coworking Brasil, São Paulo é o Estado que possui mais espaços voltados para o trabalho compartilhado.

Caso você queira saber mais sobre o estudo completo feito pela Coworking Brasil, clique aqui.

Conclusão

Como podemos ver acima, investir em Coworking pode ser um bom negócio para sua empresa, já que é um mercado em expansão e deixa de ser mera excentricidade. Cada vez mais, as propostas de trabalhar em coletividade encontram grande receptividade no mundo, já que as pessoas estão em busca de conexões e proximidade.

Além disso, essa opção é mais econômica e oferece conforto e facilidade. Outro ponto é que, o conceito de coworking está aliado aos valores de sustentabilidade, vida em comunidade e colaboração.

Portanto, esteja atento à essas mudanças e as novas necessidades do mercado, assim você estará sempre à frente no mercado.

Gostou do post?

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly